Métodos não farmacológicos para alívio da dor durante trabalho de parto

Kathlin Cristina Coelho, Ivanilde Marques da Silva Rocha, Anderson Luiz da Silva Lima

Resumo

A dor é definida como uma experiência sensorial e emocional desagradável, associada a uma lesão tecidual real ou potencial. Esta revisão teve por objetivo verificar quais são os métodos não farmacológicos mais utilizados para o alívio da dor durante o trabalho de parto. Revisão narrativa da bibliografia por meio de buscas nas bases de dados da Biblioteca Virtual em Saúde e manuais publicados disponíveis de forma gratuita na internet. Foram selecionadas 28 referências para a elaboração deste artigo. Entre os métodos não farmacológicos, destacam-se: técnicas de respiração; massagens; banhos; bola suíça; deambulação; eletroestimulação e crioterapia. Ficaram evidentes os benefícios dos métodos não farmacológicos utilizados durante o trabalho de parto e sua eficácia. Além do alívio da dor, estes métodos promovem relaxamento, reduzem a ansiedade, aumentam o vínculo entre a gestante e seu/sua acompanhante e reduzem o risco de exposição desnecessária aos fármacos.

Descritores: Analgesia, Dor do Parto, Trabalho de Parto.

 

Non-pharmacological methods for pain relief during labor

Abstract: Pain is defined as an unpleasant sensory and emotional experience associated with a real or potential tissue injury. This review aimed to verify which are the non-pharmacological methods most used for the relief of pain during labor. Narrative review of the bibliography through searches in the databases of the Virtual Health Library and published manuals available free of charge on the internet. We selected 28 references for the elaboration of this article. Among the non-pharmacological methods, the following stand out: breathing techniques; Massage; Baths; Swiss ball; Ambulation; Electrostimulation and cryotherapy. The benefits of non-pharmacological methods used during labor and their efficacy were evident. In addition to pain relief, these methods promote relaxation, reduce anxiety, increase the bond between the expectant mother and her partner, and reduce the risk of unnecessary drug exposure.

Descriptors: Analgesia, Childbirth Pain, Labor of Delivery.

 

Métodos no farmacológicos para alivio del dolor durante trabajo de parto

Resumen: El dolor se define como una experiencia sensorial y emocional desagradable, asociada a una lesión del tejido real o potencial. Esta revisión tuvo como objetivo verificar cuáles son los métodos no farmacológicos más utilizados para el alivio del dolor durante el trabajo de parto. Revisión narrativa de la bibliografía por medio de búsquedas en las bases de datos de la Biblioteca Virtual en Salud y manuales publicados disponibles de forma gratuita en internet. Se seleccionaron 28 referencias para la elaboración de este artículo. Entre los métodos no farmacológicos, se destacan: técnicas de respiración; Masajes; Los baños; Pelota suiza; Deambulación; Electroestimulación y crioterapia. Los beneficios de los métodos no farmacológicos utilizados durante el trabajo de parto y su eficacia fueron evidentes. Además del alivio del dolor, estos métodos promueven la relajación, reducen la ansiedad, aumentan el vínculo entre la gestante y su acompañante y reducen el riesgo de exposición innecesaria a los fármacos.

Descriptores: Analgesia, Dolor del Parto, Trabajo de Parto.

Texto completo:

PDF

Referências

Medeiros J, Hamad GBNZ, Costa RRO, Chaves AEP, Medeiros SM. Métodos não farmacológicos no alívio da dor de parto: percepção de puérperas. Rev Espaço para a Saúde. 2015; 16(2):37-44.

Mamede FV, Almeida AM, Souza L, Mamede MV. A dor durante o trabalho de parto: o efeito da deambulação. Rev Latino-Am Enferm. 2007; 15(6):1157-1162.

Carraro TE, Knobel R, Frello AT, Gregório VRP, Grüdtner DI, et al. O papel da equipe de saúde no cuidado e conforto no trabalho de parto e parto: opinião de puérperas. Texto Contexto Enferm. 2008; 17(3):502-509.

Davim RMB, Torres GV, Melo ES. Estratégias não farmacológicas no alívio da dor durante o trabalho de parto: pré-teste de um instrumento. Rev Latino-Am Enferm. 2007; 15(6):1150-1156.

Faúdes A, Pádua KS, Osis MJD, Cecatti JG, Sousa MH. Opinião de mulheres e médicos brasileiros sobre a preferência pela via de parto. Rev Saúde Pública. 2004; 38(4):488-494.

Organização Mundial de Saúde - OMS. Maternidade segura. Assistência ao parto normal: guia prático. Brasília. 1996.

Versiani CC, Barbieri M, Gabrielloni MC, Fustinoni SM. Significado de parto humanizado para gestantes. Rev Pesquisa Cuid Fundam. 2015; 7(1):1927-1935.

Knobel R, Radunz V, Carraro TE. Utilização de estimulação elétrica transcutânea para alívio da dor no trabalho de parto: um modo possível para o cuidado à parturiente. Texto Contexto Enferm. 2005; 14(2):229-236.

Almeida JMD, Acosta LG, Pinhal MG. Conhecimento das puérperas com relação aos métodos não farmacológicos de alívio da dor do parto. Rev Mineira Enferm. 2015; 19(3):711-724.

Neme B. Parto: assistência. In: Neme B. Obstetrícia básica. 2a ed. São Paulo: Guanabara Koogan. 2000; 190-213.

Silva FMB, Oliveira SMJV. O efeito do banho de imersão na duração do trabalho de parto. Rev Esc Enferm USP. 2006; 40(1):57-63.

Rezende J. O parto. Estudo clínico e assistência. In: Rezende J. Obstetrícia. 9a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2002; 328-45.

Guyton AC, Hall JE. Tratado de Fisiologia Médica. 11ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2006.

Santos PAN, Silva SR. O trabalho do PSF no incentivo ao parto normal através do uso de um método psicossomático de alívio da dor: relato de caso. Rev Mineira Enferm. 2007; 11(1):36-40.

Almeida NAM, Souza JT, Bachion MM, Silveira NA. Utilização de técnicas de respiração e relaxamento para alívio de dor e ansiedade no processo de parturição. Rev Latino-Am Enferm. 2005; 13(1):52-8.

Abreu EA, Santos JDM, Ventura PL. Efetividade da eletroestimulação nervosa transcutânea no alívio da dor durante o trabalho de parto: um ensaio clínico controlado. São Paulo: Rev Dor. 2010; 11(4):313-318.

Bavaresco GZ, Souza RSO, Almeida B, Sabatino JH, Dias M. O fisioterapeuta como profissional de suporte à parturiente. Ciência & Saúde Coletiva. 2011; 16(7):3259-3266.

Davim RMB, Torres GV, Dantas JC. Efetividade de estratégias não farmacológicas no alívio da dor de parturientes no trabalho de parto. Rev Esc Enferm USP. 2009; 43(2):438-445.

Gayeski ME, Bruggemann OM. Métodos não farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto: uma revisão sistemática. Texto Contexto Enferm. 2010; 19(4):774-782.

Osório SMB, Silva Júnior LG, Nicolau AIO. Avaliação da efetividade de métodos não farmacológicos no alívio da dor do parto. Rev RENE. 2014; 15(1):174-184.

Motta SAMF, Feitosa DS, Bezerra STF, Dodt RCM, Moura DJM. Implementação da humanização da assistência ao parto natural. Rev Enferm UFPE. 2016; 10(2):593-599.

Barbieri M, Henrique AJ, Chors FM, Maia NL, Gabrielloni MC. Banho quente de aspersão, exercícios perineais com bola suíça e dor no trabalho de parto. Acta Paul Enferm. 2013; 26(5):478-84.

Rocha IMS. Práticas obstétricas adotadas na assistência ao parto segundo o partograma com linhas de alerta e ação [dissertação] São Paulo (SP): Escola de Enfermagem da USP. 2005; 100.

Santana LS, Gallo BS, Ferreira CHJ, Quintana SM, Marcolin AC. Efeito do banho de chuveiro no alívio da dor em parturientes na fase ativa do trabalho de parto. São Paulo: Rev Dor. 2013; 14(2):111-113.

Gallo RB, Santana LS, Marcolin AC, Quintana SM. Swiss ball to relieve pain of primiparous in active labor. Rev Dor. 2014; 15(4):253-255.

Silva EF, Strapasson MR, Fischer ACS. Métodos não farmacológicos de alívio da dor durante trabalho de parto e parto. Rev Enferm UFSM. 2011; 1(2):261-671.

Orange FA, Amorim MMR, Lima L. Uso da eletroestimulação transcutânea para alívio da dor durante o trabalho de parto em uma maternidade-escola: ensaio clínico controlado. Rev Bras Ginecol Obstet. 2003; 25(1):45-52.

Nunes S, Vargens OMC. A crioterapia como estratégia para alívio da dor no trabalho de parto: um estudo exploratório. Rev Enferm UERJ. 2007; 15(3):337-342.

Mafetoni RR, Shimo AKK. Métodos não farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto: revisão integrativa. Rev Mineira Enferm. 2014; 18(2):505-512.


Visualizações do PDF:

739 views


Visualizações do Resumo:

3533 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud