Metáfora "árvore do conhecimento" na pesquisa saúde infantil/ambiente na Amazônia

Marcela Milrea Araújo Barros, Ivone Evangelista Cabral

Resumo

Descrever a aplicabilidade da dinâmica de criatividade e sensibilidade ‘árvore do conhecimento’ do método criativo sensível com enfermeiros que atendem crianças na atenção primária em região da Amazônia durante as queimadas. A metáfora da árvore materializada na produção artística com as questões geradoras de debate, possibilitou um ambiente acolhedor, descontraído, com coletivização das experiências, determinando material empírico vertical, profundo e coerente. O espaço foi catalizador de reflexões críticas sobre o papel social e profissional do enfermeiro, preocupado com a sustentabilidade frente às particularidades ambientais, o grupo infantil e sua família. A dinâmica se manifesta como estratégia alternativa de se construir uma epistemologia na enfermagem com olhar sensível para a interface saúde e ambiente. Trata-se de uma mudança paradigmática desafiadora para a ciência, ao respeitar o sujeito na sua singularidade e repensar um novo lugar para os atores sociais, não mais passivo, mas ativo e interativo na produção do conhecimento.

Descritores: Criatividade, Conhecimento, Enfermeiros, Ambiente.

 

Metaphor “tree of knowledge” in child health/environment research in the Amazon

Abstract: Describe the applicability of the creativity and sensitivity dynamics tree of knowledge of the sensitive creative method with nurses who care for children in primary care in the Amazon region during fires. The metaphor of the tree materialized in artistic production with the questions that generate debate, enabled a welcoming, relaxed environment, with collectivization of experiences, determining empirical vertical, deep and coherent material. Space was a catalyst for critical reflections on the social and professional role of nurses, concerned with sustainability in the face of environmental particularities, the child group, and their family. The dynamics manifest themselves as an alternative strategy to build an epistemology in nursing with a sensitive look at the interface between health and the environment. It is a challenging paradigmatic change for science, by respecting the subject in its uniqueness and rethinking a new place for social actors, no longer passive, but active and interactive in the production of knowledge.

Descriptors: Creativity, Knowledge, Nurses, Environment.

 

Metáfora “árbol del conocimiento” en la investigación de salud infantil/medio ambiente en la Amazonía

Resumen: Describa la aplicabilidad de la dinámica de la creatividad y la sensibilidad del “árbol del conocimiento" del método creativo sensible con enfermeras que asisten a niños en atención primaria en la región amazónica durante los incendios. La metáfora del árbol materializada en la producción artística con las preguntas que generan debate, permitió un ambiente acogedor, relajado, con colectivización de experiencias, determinando material empírico vertical, profundo y coherente. El espacio fue un catalizador para reflexiones críticas sobre el papel social y profesional del enfermero, preocupado por la sostenibilidad frente a las particularidades ambientales, el grupo infantil y su familia. La dinámica se manifiesta como una estrategia alternativa para construir una epistemología en enfermería con una mirada sensible a la interfaz entre la salud y el medio ambiente. Es un cambio paradigmático desafiante para la ciencia, al respetar el tema en su singularidad y repensar un nuevo lugar para los actores sociales, ya no pasivos, sino activos e interactivos en la producción de conocimiento.

Descriptores: Creatividad, Conocimiento, Enfermeros, Ambiente.

Texto completo:

PDF

Referências

Nogueira C. Um olhar sociológico sobre o privilégio epistémico da biomedicina: desconstruindo a metanarrativa. Saude Soc. 2018.

Huff RM, Kline MV. Promoting health in multicultural populations: a handbook for practitioners. Sage Publications. 1998.

Thompson MR. The concept of exposure in environmental health for nursing. J Adv Nurs. 2017; 73(6):1315-30.

Heidemann ITSB, Dalmolin IS, Rumor PCF, Cypriano CC, Costa MFBNA, Durand MK. Reflexões sobre o itinerário de pesquisa de Paulo Freire: contribuições para a saúde. Texto Contexto Enferm. 2017; 26(4):e0680017.

Freire P. Pedagogia do Oprimido.50. ed. São Paulo: Paz e Terra. 2011.

Gabatz R, Padoin S, Neves E, Schwartz E, Lima J. A violência intrafamiliar contra a criança e o mito do amor materno: contribuições da enfermagem. Rev Enferm UFSM. 2014; 3:563-72.

Cruz CT et al. Cuidado à criança com necessidades especiais de cuidados contínuos e complexos: percepção da enfermagem. REME: Rev Mineira Enferm. 2017; 21:e-1005.

Poletto PMB, Motta MGC. Educação em saúde na sala de espera: cuidados e ações à criança que vive com HIV/AIDS. Esc Anna Nery. 2015; 19(4):641-647.

Queiroz MVO, Brito LMMC, Pennafort VPS, Bezerra FSM. Sensitizing children with diabetes to self-care: Contributions to educational practice. Esc Anna Nery. 2016; 20(2):337-343.

Motta MGC et al. Diagnóstico revelado à criança e ao adolescente com HIV/AIDS: implicações para o familiar/cuidador. Rev Enferm UERJ. 2016; 24(3):4787.

Góes FGB, Cabral IE. Discursos sobre cuidados na alta de crianças com necessidades especiais de saúde. Rev Bras Enferm. 2017; 70(1):163-71.

Soratto J, Pires DEP, Cabral IE, Lazzari DD, Witt RR, Sipriano CAS. A maneira criativa e sensível de pesquisar. Rev Bras Enferm. 2014; 67(6):994-9.

Gonçalves KS, Castro HA, Hacon SS. As queimadas na região amazônica e o adoecimento respiratório. Ciênc Saúde Coletiva. 2012.

Moraes RCP, Anhas DM, Mendes R, Frutuoso, MFP, Rosa, KRM, Silva, CRC. Pesquisa participante na estratégia saúde da família em territórios vulneráveis: a formação coletiva no diálogo pesquisador e colaborador. Trabalho, Educação Saúde. 2017; 15(1):205-222.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde - CNS. Resolução n° 466 de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde. 2012.

Cabral IE, Neves ET. Pesquisar como método criativo e sensível na enfermagem: fundamentos teóricos e aplicabilidade. In: Metodologias da pesquisa para a enfermagem e saúde: da teoria à prática. Porto Alegre: Moriá. 2015.

Ayres JRCM, França JI, Calazans GJ, Saletti FHC. O conceito de vulnerabilidade e as práticas de saúde: novas perspectivas e desafios. In: Czeresnia D; Freitas C, organizadores. Promoção da Saúde: conceitos, reflexões e tendências. Rio de Janeiro: Fiocruz. 2003; 117-39.

Orlandi EP. Análise do discurso: princípios e procedimentos. 5. ed. Campinas, SP: Pontes. 2005.

Maturana HR, Varela FJ. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena. 2001.

Cabral IE. O método criativo e sensível: alternativa de pesquisa na enfermagem. In: Gauthier JHM, Cabral IE, Santos I, Tavares CMM. Pesquisa em enfermagem: novas metodologias aplicadas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 1998.

Fundação Oswaldo Cruz. Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Fiocruz. Observatório de Clima e Saúde. 3º Informe Técnico. 2019.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Boletim de Monitoramento, Infoqueima, INPE, agosto de 2019.

Xiao Q et al. Pediatric emergency department visits and ambient Air pollution in the U.S. State of Georgia: a case-crossover study. Environ Health. 2016; 15(1):115.

Santos GS, Queiroz ABA, Pereira CSF, Rosas AMMTF Silveira LMC, Rodrigues SRBT. Práticas grupais no ensino do estado da arte com residentes multiprofissionais em saúde. Rev Gaúcha Enferm. 2019; 40: e20180210.

Fonseca RMGS, Amaral MA. Reinterpretação da potencialidade das Oficinas de Trabalho Crítico-emancipatórias. Rev Bras Enferm. 2012; 65(5):780-787.


Visualizações do PDF:

37 views


Visualizações do Resumo:

93 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud